o que não esperávamos

houve aquele ano em que tudo pareceu desabar. pareceu? não. estávamos em ruínas (estamos, ainda).  assim, reescrever cartas geográficas tornou-se imperativo quando toda a rota conhecida rolou água abaixo. estava há sete anos escrevendo este livro - viveu com outros nomes, até - e o primeiro período de reclusão me fez voltar a ele. pensar na casa, no canto, na filha. nisso que, até então, era sobrevida e tornou-se, um ano depois, a vida mesma.

depois, o que virá?

"A propagação da epidemia da COVID-19 no Brasil e no estado de Pernambuco impactou, sobremaneira, o setor cultural e artístico. É nesse cenário que uma forte mobilização do setor impulsionou a aprovação no Congresso Nacional da Lei no 14.017/2020, nomeada Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural. Seu objetivo: apoiar a subsistência de trabalhadores e trabalhadoras da cultura, garantir apoio a espaços, organizações, pequenos empreendimentos e outras iniciativas que tiveram suas atividades prejudicadas em decorrência da crise sanitária, além de fomentar a retomada da produção cultural.

O projeto deste livro foi selecionado pelo Edital Criação, Fruição e Difusão - LAB PE, da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco - SECULT-PE, em conformidade com a Lei no 14.017/2020 - Lei Aldir Blanc, Decreto no 10.464/2020, Lei Estadual No 17.057/2020 e Decreto Estadual 49.565/2020."